CASA GUIGNARD - MUSEU


Sobre

Alberto da Veiga Guignard nasceu em Nova Friburgo / RJ em 1896. Aos 11 anos, mudou-se para Europa com a família. Lá permaneceu por mais de vinte anos, estudando desenho e pintura na Itália e Alemanha. De volta ao Brasil, em 1929 fixou-se no Rio de Janeiro, instalando ateliê no Jardim Botânico. No ano seguinte, iniciou carreira de professor de arte, ensinando desenho e pintura para crianças na Fundação Osório. Neste período Guignard também lecionou na cadeira de desenho, pela Escola de Belas Artes da Universidade do Distrito Federal, no Rio de Janeiro em 1931. Em 1940, transferiu-se para Itatiaia / RJ, onde passou curtas temporadas. Associado a um grupo de jovens artistas, em 1942, organizou o ateliê coletivo, chamado a Nova Flor de Abacate. A convite de Juscelino Kubitschek, então prefeito de Belo Horizonte, em 1944 mudou-se para a Capital mineira. À frente da escola de pintura que hoje traz seu nome, Guignard teve papel decisivo na formação da geração de artistas modernistas mineiros. Viajava para Sabará, Lagoa Santa e, com mais frequência, para Ouro Preto, cidade que lhe inspirou em muitas obras e onde residiu nos últimos meses de sua vida. Morreu em Belo Horizonte em 1962 e está sepultado na Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto. É considerado um dos maiores pintores brasileiros do século XX. O Museu Casa Guignard possui acervo diversificado, compreendendo pinturas, desenhos, objetos de uso pessoal e de trabalho, fotografias e documentos textuais. Neste conjunto, a capacidade criativa do Guignard pintor se revela em pinturas e desenhos aplicados sobre variados suportes – papel, madeira, tecido – que transitam do convencional ao inusitado com extrema liberdade. Parte significativa do acervo foi recolhida em 1960, por iniciativa da Fundação Guignard. Depois, este acervo ficou sob a guarda da Fundação de Arte de Ouro Preto – FAOP até a sua transferência definitiva para o Museu, em 1986. Desta fase inicial registram-se o álbum de desenhos e as ilustrações para contos de Lúcia Machado de Almeida, entre outras aquisições. Datam dos anos 1980 incorporações importantes como a cama e o violão com trabalhos pictóricos e o Álbum de Guignard para Amalita (1987), reunindo mais de cem cartões escritos e ilustrados pelo artista. O conjunto de Cartões de Guignard para Amalita, realizados entre os anos de 1932 e 1937, traduz em 111 cartões uma sensibilidade peculiar do pintor Alberto da Veiga Guignard.

Contato

Rua Conde de Bobadela, 110, Centro
OURO PRETO - CIDADE SEDE, Minas Gerais 35400-000
Brasil

Traçar rota

Destaques

  • Educativo: Grupos escolas podem solicitar/realizar uma de nossas oficinas.
  • Visitas guiadas devem ser previamente agendadas.
  • Museu instalado em um casarão colonial com ótima localização.
  • Entrada gratuita.
  • GARANTIA TOUR OURO PRETO
  • ACEITA RESERVAS
  • ATENDIMENTO BILÍNGUE

Horas

De terça-feira a sexta-feira, das 12 às 18 horas. Sábado ,domingo e feriados ,das 10 às 15 horas.

Seja o primeiro a avaliar!



Favorite
Adicionar aos favoritos

Anuncie